A estratégia da Proteção Civil para o combate a incêndios em 2020, conhecida há 15 dias, pouco mais é do que uma cópia de todas as outras de anos anteriores. Sendo que desta vez é mais notória e mais grave essa habitual repetição. Num ano em que o «risco é preocupante», não foi tida em conta qualquer medida em tempo de crise pandémica, como a necessidade de distanciamento físico, não corrige falhas de atuação ocorridas em grandes incêndios e até alude a um determinado tipo de orgânica interna que a própria Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) já deixou de ter este ano.

LEER MAS: JN